160 mil acidentes com as mãos

Foram 166.662 acidentes com as mãos (26,78%) só em 2015, segundo o Anuário Estatístico da Previdência Social (AEPS). Cada ferimento da mão pode custar até 16.432 dólares, de acordo com a National Safety Council – USA. Assim fica fácil entender o motivo pelo qual proporcionar a proteção ideal para os trabalhadores é tão importante.

 

A ferramenta mais importante que o trabalhador tem ao seu dispor são suas mãos. É por meio delas que ele desenvolve suas atividades profissionais. Apesar disso, a maioria não atenta para sua segurança, fato que torna a mão a parte do corpo mais lesionada por acidentes. Inúmeros são os riscos que podem ser encontrados no ambiente de trabalho para as mãos. Os mais comuns estão listados no quadro a seguir:

É muito importante que o trabalhador tenha consciência quanto aos riscos que estão presentes em suas atividades, assim ele se torna um agente importante na prevenção de acidentes.

A prevenção, proteção das mãos e do Técnico de Segurança (TST)

As lesões mais frequentes que ocorrem nas mãos são ferimento, traumatismo, fratura, esmagamento amputação e queimadura. Entre as principais causas dessas lesões estão o uso de equipamentos defeituosos, ferramentas danificadas, locais de trabalho inadequados, recursos de apoio e projetos deficientes, tédio ou cansaço e comportamentos de risco. É de suma importância o estabelecimento das normas e procedimentos de segurança por parte do TST, fator esse que o torna um personagem importante para a diminuição tanto dos riscos quanto dos acidentes com as mãos.

O sobrevivente de um acidente de trabalho sofre danos (não só materiais) nem sempre quantificados nos custos oficiais como sofrimento físico e mental, cirurgias, remédios, próteses, fisioterapia, traumas, depressão, preconceito, desemprego, marginalização, assistência médica, desamparo à família, perda do poder aquisitivo, dependência de terceiros.

“Empregadores precisam entender que a reparação dos danos ao acidentado é mais onerosa que o custo da prevenção. A falta de investimento das empresas em segurança é uma forma dissimulada de violência que mata, mutila e adoece trabalhadores. Ela reduz a produtividade, arruína a vida de muitas famílias e produz diversos custos sociais e financeiros”, declarou Alessandra Sgreccia, Procuradora Federal da AGU em entrevista à Gazeta do Povo.

EPIs para as mãos

As luvas de segurança são Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e servem para cobrir as mãos e proteger o trabalhador contra os diversos riscos que sua atividade pode expô-lo. Atualmente o mercado de EPIs oferece diversos tipos de luvas para atender a necessidades bem específicas, então sua venda é bastante técnica.

A estrutura e a composição das luvas tem grande influência sobre seu desempenho final, podendo ser classificadas por diferentes critérios como matéria-prima, formato, espessura, acabamentos, revestimento, punho, método de fabricação, normas, riscos, tipo de proteção que ela oferece, entre outras. O tamanho das luvas também se faz importante, uma vez que calçar a luva de tamanho errado pode contribuir para o aumento do risco de acidentes nas mãos.

Com a chegada no Brasil em 2017, a marca Lalan veio para elevar o nível das luvas de segurança no país, devido a qualidade dos seus produtos, exigência dos rigorosos padrões de qualidade internacionais praticados na Europa e EUA, aos quais excedem em muito os padrões industriais de conformidade aplicados no Brasil, além da vantagem de garantir um ininterrupto fornecimento de luvas, fato que tem aberto muitas portas para empresa, visto que a ruptura no fornecimento de luvas tem sido um problema recorrente no mercado brasileiro.

A Lalan em números

Tradição e tecnologia “Da árvore às mãos”.

A produção verticalizada que vai desde o plantio das seringueiras, de onde se extrai a borracha natural (látex), até os tanques de escoamento, proporciona maior qualidade, consistência, eficiência, operações mais flexíveis e um ininterrupto fornecimento de luvas em toda a cadeia de valor da empresa.

“Isso significa que é possível rastrear a árvore de onde foi extraído o látex que confeccionou aquela luva. Porque os padrões de qualidade são muito exigentes, diferente do que acontece no Brasil, conseguimos fornecer luvas para empresas e marcas mundiais e além de terceirizar a produção de luvas para marcas próprias em todo o mundo”, explicou Cintia Maahs, Diretora da Lalan do Brasil.

Sustentabilidade

A Lalan avançou para vanguarda dos movimentos de responsabilidade ambiental e social. “Nós não nos vemos como simples fabricantes de luvas, mas como uma organização capacitando e construindo comunidades”, comenta o CEO.

Mais que preocupação com o meio ambiente, a Lalan também possui iniciativas sociais e um centro de aprendizagem para plantadores de borracha independentes. Entre suas iniciativas sociais e ambientais fazem parte: tratamento de água; treinamento vocacional; bem-estar infantil; bem-estar feminino e elefantes órfãos.

“Nossa família, juntamente com 7.500 membros apaixonados, tem crescido ao longo dos anos… Nós nos esforçamos para ser uma empresa que nossos colaboradores, clientes e comunidade se orgulhem, enriquecendo e capacitando todos através de programas de treinamentos, fornecendo moradias, creches e escolas para conduzir iniciativas protegendo nosso meio ambiente tal como replantação florestal e geração de energia. Nós sempre estivemos à frente dos concorrentes e continuaremos a fazê-lo, estabelecendo padrões através de soluções inovadoras”, finaliza Lalith Hapan – CEO da Lalan Group.

Mais sobre a Lalan

 

Em 1940 a Lalan foi pioneira ao começar seu negócio como trading de borracha para três clientes, numa pequena estrutura no Sri Lanka. 0Hoje, após 78 anos, a Lalan possui uma sólida reputação e está presente em 12 setores, englobando todas as industrias com interesse em borracha, reflorestamento, energia renovável, luvas de segurança, plantações agrícolas como chá, cardamomo, biomassa, stévia, citronela, canela, café, entre outros. Os catalisadores para o crescimento da empresa foram: o reconhecimento de oportunidades de negócio e a consolidação da cadeia de valores.

Missão: Promover conforto e proteção ao profissional, a partir do fornecimento de produtos certificados mundialmente, gerando segurança para as mãos de forma sustentável.

Valores: Valorização humana; Comprometimento; Inovação; Sustentabilidade e Ética.

Política de Qualidade: Nossa política de qualidade consiste em fornecer ao mercado nacional e internacional, produtos de altíssima qualidade, com garantia de sustentabilidade, aperfeiçoamento e inovando continuamente a fabricação de nossos produtos, com um sistema de gestão voltado à excelência, buscando a satisfação dos nossos clientes, colaboradores e alcançando todos os objetivos propostos, “da árvore às mãos”.

Visão: Ser referência em luvas de segurança no Brasil e América Latina.

Informações sobre a Consultoria Técnica:

Acesse www.lalan.com.br ou ligue para (41) 3534-7775.

Informações para imprensa:

Dayane Silva (41) 9 9620-3666

contato@dayanesilva.blog.br

https://www.linkedin.com/in/dayanesilvapbc/

Categorias

Arquivos

%d blogueiros gostam disto: